É possível remover cicatrizes? Saiba como tratar

Cicatrizes são o resultado de um trauma sofrido pela pele, seja por lesões ou cirurgias. Elas podem ter diversos tamanhos e formas, terem uma cor avermelhada e se tornarem mais claras com o tempo, serem lisas ou irregulares. No entanto, em muitos casos, elas incomodam. Por esse motivo, as pessoas procuram maneiras de tratar o problema. Apontamos neste texto os tipos de cicatrizes e tratamentos possíveis. Entenda.

Tipos de cicatrizes

A recuperação de uma ferida começa com a inflamação. Em seguida, ocorre a formação de tecido e a alteração de fatores na anatomia das células da pele. Por fim, ocorre a produção de colágeno, insuficiente ou excessiva, que forma a cicatriz.

Para saber como remover cicatrizes, é preciso entender quais são seus tipos. São eles:

  • Cicatrizes atróficas: são as mais comuns, que independem de fatores genéticos. Elas aparecem devido à perda de estruturas que apoiam e dão firmeza à pele (músculo e gordura), deixando uma espécie de buraco (relevo) na pele.
  • Queloides: são aquelas de crescimento anormal e desregulado. Elas ultrapassam os limites iniciais da própria lesão, porque o corpo não para de produzir colágeno novo. Podem se relacionar a fatores genéticos.
  • Cicatrizes hipertróficas: resultam da produção de colágeno em quantidades anormais. Isso faz com que a cicatriz fique com uma textura mais elevada em relação à pele. No entanto, se restringe ao local da lesão.
  • Cicatrizes normotróficas: a pele no local da lesão fica com consistência e aspecto semelhantes à pele anterior ao trauma.

Tratamentos para cicatrizes

Existem diversos tratamentos para cicatrizes. Todos dependem de avaliação médica para entender a causa e o tipo da lesão. A classificação adequada das cicatrizes é fundamental para o sucesso do tratamento.

As cicatrizes hipertróficas ou queloides já foram muito tratadas com a infiltração de corticóides no local para a redução de seu volume. No entanto, os efeitos colaterais (transformar a cicatriz em uma cicatriz deprimida) levaram a medicina a procurar novas alternativas.

Atualmente, a Luz Intensa Pulsada é bastante utilizada. O aparelho suaviza a coloração avermelhada e a consistência das marcas. Outra alternativa segura é o tratamento com LASER fracionado.

LASER

O LASER é utilizado para melhorar a consistência da cicatriz, com a vantagem de que a pele se recupera mais rapidamente. O LASER fracionado pode ser utilizado juntamente com outros remédios, que atuam diretamente sobre a cicatriz para recuperar, clarear ou hidratar o tecido lesado.

A função do LASER é remover as células danificadas da pele. Ao contrário dos procedimentos invasivos, o tratamento a LASER envolve apenas o uso de feixes curtos de luz que penetram nas camadas internas da pele, restaurando sua estrutura de sustentação.

No entanto, é preciso ter cuidado e orientação neste uso, pois o LASER não é indicado para todos. Pacientes com doenças de pele (dermatite, acne cística e psoríase) ou que utilizam medicamentos como a isotretinoína (tratamento da acne) não podem utilizar o método.

A remoção de cicatrizes pode ocorrer de algumas formas. Nos últimos anos, o LASER vem sendo muito utilizado por ser uma abordagem terapêutica avançada e não invasiva, que produz ótimos resultados. Em qualquer tratamento, é preciso uma avaliação médica anterior.

Quer ficar por dentro de outros conteúdos como esse? Curta nosso perfil no Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *