Alopecia Areata: o que é e como tratar

Alopecia areata

Caracterizada como uma disfunção do organismo, a alopecia areata ataca regiões específicas do couro cabeludo e outros locais que contenham pelos. Um problema que pode atingir homens e mulher e que, apesar de ser facilmente identificado, não é previsível e acaba gerando desconforto e constrangimento em seus portadores.

Ao longo deste artigo, entenda as causas, seu diagnóstico e opções disponíveis para tratamento.

Alopecia Areata: o que é

Essa é uma doença imunológica que caracteriza-se pela queda rápida de cabelos e pelos em diversas regiões do corpo. Os folículos capilares, que estão em fase de crescimento, começam a ser atacados, criando, assim, uma ou mais regiões de falhas circulares sem pelos ou cabelos. Não existe um período específico ou regra, mas normalmente essa doença costuma aparecer entre o final da infância e o início da fase adulta, estima-se que 2% da população sofra com este problema, de acordo com pesquisa divulgada no Anais Brasileiros de Dermatologia.

Tipos de alopecia Areata

Existem três tipos de alopecia areata, são eles:

Alopecia Parcial

Atinge regiões pontuais do couro cabeludo e pode acometer também outras áreas com pelos como sobrancelhas, barba, cílios e até regiões íntimas. (Qualquer lugar que contenha pelos).

Alopecia Total

Com incidências mais raras, a alopecia total atinge todo o couro cabeludo deixando o indivíduo sem cabelo.

Alopecia Universal

A alopecia universal ocasiona a queda de todos os pelos e cabelos do corpo do indivíduo.

Vale lembrar que ela não é uma doença contagiosa e pode ter incidência variável e não previsível, parando e retornando em situações específicas.

Causas da Alopecia Areata

Não existe uma causa específica conhecida para a incidência deste problema, mas sabe-se que essa doença é causada por uma condição autoimune onde o próprio sistema imunológico ataca o tecido corporal sadio. Os fatores emocionais estão diretamente associados a este problema e interferem de forma direta no início ou recuperação do quadro.

Outras questões como fatores genéticos, traumas físicos e quadros infecciosos podem interferir no processo ou até mesmo agravar a situação. Pessoas com parentes que já possuem a condição, tem uma predisposição para desenvolver a alopecia areata. Doenças autoimunes como vitiligo, artrite reumatóide, dermatite atópica, psoríase, lúpus, entre outras, também estão no quadro dos agravantes para o problema.

Diagnóstico da Alopecia Areata

A alopecia areata não possui nenhum sintoma concomitante. Ela é diagnosticada pelas pequenas lesões que vão aparecendo ao longo do couro cabeludo, barba e sobrancelhas. Normalmente, elas começam pequenas, com o tamanho de uma moeda. Por ser uma inflamação tópica ela não ataca os folículos capilares, permitindo assim a recuperação do local atingido e a volta dos cabelos ou pelos que caíram.

Tratamentos para Alopecia Areata

Assim como a sua causa, que é desconhecida, não existe uma cura para este tipo de problema. Todos os tratamentos direcionados de acordo com a gravidade de cada situação. Além dos remédios e pomadas de uso tópico, direcionadas pelos médicos e dermatologistas, existem os tratamentos realizados com injeções. Em alguns casos, o transplante capilar também pode ser realizado.

Se você quer acompanhar outras informações sobre a Alopecia Areata e demais condições que afetam o couro cabeludo, acompanhe o nosso Instagram. Lá, você encontra dicas para tratamento da calvície e conhece mais a respeito das últimas tecnologias em transplante capilar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *